31 janeiro 2014

A história da famosa marca Ferrero


A empresa italiana FERRERO literalmente provoca “água na boca” em milhões de pessoas no mundo inteiro. Quer seja a pasta Nutella, as pastilhas Tic Tac, os chocolates Kinder ou os bombons Ferrero Rocher, estas deliciosas guloseimas estão sempre associadas ao prazer. Alta qualidade, precisão artesanal, frescor dos produtos e seleção criteriosa das melhores matérias-primas, eis o segredo da FERRERO para produzir verdadeiras delícias.

A FERRERO é a maior indústria de doces e chocolates da Itália e a quarta do mundo, com subsidiárias em 42 países, sendo 19 delas na Europa, comercializando os seus produtos com mais de 30 marcas diferentes em 100 países. A empresa possui 18 fábricas em vários países e os seus maiores mercados são Itália, Alemanha, França e Reino Unido. A KINDER, que segundo a consultoria AC Nielsen, é uma das marcas de chocolate mais forte do mundo, tem vendas anuais acima dos US$ 1 bilhão. Além disso, a empresa italiana vende anualmente mais de 5 bilhões de unidades dos bombons FERRERO ROCHER.
O bombom Ferrero Rocher está tradicionalmente associado a datas comemorativas, especialmente Natal e Ano-Novo. Em alguns países, devido à rígida política de qualidade da empresa italiana os bombons são comercialziados somente durante o inverno.
A história
 
A famosa e tradicional fábrica de doce italiana nasceu do sonho do confeiteiro Pietro Ferrero em produzir chocolates de alta qualidade para ocasiões especiais e doces caseiros deliciosos numa época de grandes dificuldades económicas. A empresa começou a produzir chocolates e bolos em 1946 na pequena cidade de Alba, localizada no norte do país, distribuindo os seus produtos em pequenas lojas locais e outros estabelecimentos da região.
Entre os primeiros produtos da FERRERO, e talvez o de maior importância para o sucesso inicial da empresa, era uma pasta composta por cacau e avelãs chamada Pasta Gianduja, ideal para ser passada no pão ao pequeno-almoço, dando sabor e energia para começar bem o dia, que somente anos mais tarde viria a se chamar NUTELLA. A criação desse doce caseiro foi por necessidade: devido à falta de cacau, base para a produção de chocolate, em virtude da Segunda Guerra Mundial, Pietro, com a ajuda de sua mulher Piera, como forma de minimizar essa escassez de cacau, misturou cacau torrado, avelã, leite, açúcar e óleo vegetal, criando uma pasta económica, cremosa e com um alto teor nutricional para substituir o chocolate, que na época se teria tornado um produto de luxo.
Desde o início, o sucesso da empresa sempre esteve baseado em três virtudes: matéria prima de ótima qualidade, modernos métodos de fabricação e um eficiente sistema de distribuição para que o produto chegasse às mãos do consumidor sempre fresco. O sucesso da cremosa pasta foi praticamente instantâneo, qe o senhor Ferrero viu-se obrigado a contratar agricultores da região para garantir o fornecimento e a qualidade das avelãs.
Já em 1948, a empresa montou sua própria estrutura de distribuição, que através de 200 camionetas entregavam os seus produtos aos comerciantes. Os veículos também funcionavam como instrumentos de divulgação e propaganda da marca. Pietro e o irmão, Giovanni (que desempenhava um papel importantíssimo criando uma rede de vendas abrangendo toda a península da Itália), estiveram no comando da empresa até a década de 50, quando, seu filho Michelle e sua mãe Piera Cillario, assumiram o controle da FERRERO. Com eles no comando a empresa italiana cresceu rapidamente utilizando estratégias inovadoras de marketing, lançamentos de produtos únicos e inovações na produção. Com a  energia e a paixão pela criação de novos produtos usando idéias inovadoras, eles revolucionariam os hábitos alimentares de milhões de consumidores nas décadas seguintes.

Em 1956, a FERRERO inaugurou sua primeira subsidiária internacional na Alemanha, iniciando assim a sua expansão no mercado europeu. Nesta época, a FERRERO iniciou a diversificação de sua linha de produto com o lançamento do MON CHERI, um delicioso bombom recheado com licor e cereja que se tornaria um verdadeiro sucesso na Europa.
Três anos mais tarde a França ganhava novas instalações da empresa italiana. No final desta década a empresa crescia: já eram aproximadamente 1.000 funcionárias e 380 toneladas de chocolate produzidas.
Nas décadas de 60 e 70, a empresa resolveu centrar o seu foco na expansão internacional, inaugurando subsidiárias, pontos de vendas e escritórios de representação em vários países do mundo. No final da década de 60 a empresa já possuía subsidiárias instaladas na Holanda, Bélgica, Reino Unido, Áustria, Suécia, Suíça e Dinamarca.

Em 1968 a empresa lançou o primeiro produto sob a marca KINDER (significa criança em alemão), um chocolate direcionado ao público infantil em formato de deliciosas barrinhas, saborosas, nutritivas e recheadas com leite. O novo produto era divulgado com o slogan “mais leite e menos cacau”.

Foi também neste mesmo ano que outro produto de sucesso surgiu: o bombom de café POCKET COFFEE.
 
A primeira subsidiária fora do mercado europeu foi inaugurada na cidade de Nova York, que iniciou suas atividades em 1969, introduzindo no mercado americano a marca TIC TAC, pequenas pastilhas feitas com 60 camadas de ingredientes, o que fazia com que seu sabor mudasse progressivamente à medida em que se íam dissolvendo, doce por fora e refrescante por dentro, inicialmente vendida com sabor a menta.

A menina dos olhos da FERRERO foi e continua sendo o KINDER SORPRESA (o bem conhecido ovo kinder), lançado no mercado em 1974. Os deliciosos ovos de chocolates eram recheados com cápsulas de plástico que guardavam pequenos brinquedos desmontados. A idéia original era que as crianças ao abrirem o ovinho tivessem um momento mágico e de diversão todos os dias do ano. Assim, o produto realizava três desejos de uma só vez: chocolate, brinquedo e uma surpresa
No ano seguinte a empresa introduziu mais uma novidade: KINDER BUENO, um chocolate leve, nutritivo, com recheio de leite e avelãs.

Porém, a empresa só em 1982 introduziu no mercado o seu produto de maior sucesso, os bombons FERRERO ROCHER, formado por uma avelã inteira, imersa num recheio cremoso e envolvido por uma delicada concha de wafer crocante, coberto de chocolate salpicado de pedacinhos avelã, embrulhados nas suas características embalagens douradas. Este produto foi uma aposta pessoal de Michelle: durante cinco anos, ele viveu obcecado em conseguir a fórmula perfeita para conseguir que os pedaços de bolacha waffer aderissem com perfeição à avelã e ao chocolate. Era o início de um sucesso que conquistaria milhões de aficionados por chocolate em todos os cantos do mundo. Rapidamente as sofisticadas caixas do bombom se tornaram um presente para várias ocasiões, quer seja para dizer um obrigado, numa recepção ou como um gesto de amor. A aposta na comunicação dos famosos bombons também foi determinante para o seu sucesso. No Reino Unido, graças a uma campanha publicitária, os bombons FERRERO ROCHER passaram a ser associados às recepções nas embaixadas.

Em 1998 lançou o refinado RAFFAELLO, um bombom sem chocolate que combina o sabor delicado das melhores amêndoas com o sabor exótico do coco, encantando os paladares mais sofisticados. 
Seguiram-se também as barras de cereais KINDER,  embalagens sofisticadas para presentes com bombons da linha FERRERO ROCHER, o chá pronto para beber chamado Estathé, lançado em 2000, as variações FERRERO RENDOIR (o bombom tradicional feito com chocolate amargo), introduzido em 2008, o Garden Coconut (uma fina e delicada combinação entre as amêndoas e coco), o GARDEN LIMON (recheado com creme de limão) e o GARDEN PISTACHIO (recheado com creme de pistacho), além de uma linha de ovos de Páscoa, composta pelo FERRERO ROCHER (recheados com os deliciosos bombons), GRAN ROCHER (com pedaços de avelãs na casca) e KINDER OVO (com uma surpresa gigante dentro).

Mesmo com quase 85 anos, Michele Ferrero, um dos homens mais ricos da Itália, não abrandou a criatividade. A sua última criação foi batizada de GRAND SOLEIL e concebida para mercados como África, China ou Índia: trata-se de uma pasta com sabor a limão, que se conserva à temperatura ambiente e que, depois de levada ao congelador e mexida, ganha uma consistência de gelado.
Hoje em dia, a característica distintiva da FERRERO é que ela é uma empresa “glocal” (pense globalmente, haja localmente), que foca no desenvolvimento internacional, sem perder de vista sua relação com as comunidades locais.
        
Agradecimentos a http://mundodasmarcas.blogspot.co.uk/2006/05/ferrero-rocher-sapore-ditlia.html

Sem comentários:

Enviar um comentário

Chocalate Doc Chocolat. Com tecnologia do Blogger.